terça-feira, 23 de junho de 2009

O ENSINO DE CIÊNCIAS E A IDÉIA DE CIDADANIA

A escola hoje, pelo menos em uma perspectiva teórica, encontra-se fortemente comprometida com um ensino de qualidade e com a idéia de construção da cidadania. Os conteúdos escolares ensinados aos alunos são entendidos como parte de um instrumental necessário para que todos compreendam a realidade à sua volta e adquiram as condições necessárias para discutir, debater, opinar e mesmo intervir nas questões sociais que marcam cada momento histórico. Segundo os PCNs (1997),

O ensino de qualidade que a sociedade demanda atualmente expressa-se aqui como a possibilidade de o sistema educacional vir a propor uma prática educativa adequada às necessidades sociais, políticas, econômicas e culturais da realidade brasileira, que considere os interesses e as motivações dos alunos e garanta as aprendizagens essenciais para a formação de cidadãos autônomos, críticos e participativos, capazes de atuar com competência, dignidade e responsabilidade na sociedade em que vivem.

Com relação à idéia contida no texto citado, uma questão que no momento tem sido alvo de muita discussão entre professores é esta: o que significa educar para a cidadania? Ou ainda, como formar cidadãos autônomos, críticos e participativos a partir de uma sala de aula de Física, de Química, de Biologia, etc? São questões que se impõem por uma razão muito simples: nenhum professor discorda de tais ideais. O problema é que, além de ser uma idéia extremamente ampla, nem todo professor e nem toda escola estão suficientemente preparados para criar as condições práticas necessárias com o objetivo de formar cidadãos capazes de atuar com competência e consciência na sociedade.

Por: Paulo Roberto Dos Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário